BrasilEducaçãoPolíticaTodos

Abraham Weintraub anuncia saída do MEC, Bolsonaro capitulou

O ministro da Educação, Abraham Weintraub, anunciou na tarde desta quinta-feira (18) que está de saída da pasta. Ele assumirá a direção do Banco Mundial. O anúncio foi feito por meio de um vídeo ao lado do presidente Jair Bolsonaro publicado nas redes sociais. “Sim, dessa vez é verdade. Estou saindo do MEC e vou começar a transição agora e, nos próximos dias, passo o bastão para o ministro que vai ficar no meu lugar, interino ou definitivo”, diz Weintraub. Em seguida, o ministro anuncia que irá assumir a direção do Banco Mundial, com sede em Washington, nos Estados Unidos. “Eu recebi um convite para ser diretor de um banco, eu já fui diretor de um banco no passado, e volto ao mesmo cargo, porém no Banco Mundial. O presidente já referendou e, com isso, eu, minha esposa, os nossos filhos e a nossa cachorrinha vamos poder ter a segurança que hoje está me deixando muito preocupado”.
Na gravação, ele também reafirma seu apoio a Bolsonaro: “Estou fechando um ciclo, presidente, e começando outro e, claro, sigo apoiando o senhor”.

Weintraub deixa a pasta após a grande mídia e políticos do Centrão terem promovido uma violenta campanha contra ele, contestando de maneira catastrófica cada uma das suas manifestações e ações. No último domingo, ele participou de um ato de apoio ao governo em Brasília, não usou máscaras e foi multado em R$ 2 mil pelo governo do Distrito Federal e foi mais uma vez violentamente patrulhado. As áreas da Educação e da Cultura, amplas reprodutoras de discursos esquerdistas, sempre foram preferenciais para os ataques de jornalistas comprometidos com a organização criminosa do PT e seus asseclas. E esses jornalistas são a imensa maioria na imprensa brasileira.

Bolsonaro vai entregando os anéis, um a um, em sequência, imaginando salvar as mãos. Está enganado, será inevitavelmente derrubado do poder. Já está mais fora do que dentro. Já não governa mais, até deixou de ser o falastrão contínuo para se prostrar como um rendido ao establisment brasileiro. Acabou o movimento de reformas pretendido pelos segmentos conservadores brasileiro, anulado por um presidente que não entendeu que não podia se render ao joguinho de sempre da política nacional desde o início de seu governo. Agora é tarde para qualquer reação. Os adversários esquerdistas e centristas não o respeitam mais, como nunca respeitaram a vontade popular, e irão derrubá-lo fácil e rapidamente. A cada dia que passa ele fica mais fraco e mais sozinho. Azar do Brasil e dos brasileiros. O País será novamente submetido aos rentistas e ao interesses do sistema financeiro nacional e internacional. O Brasil está condenado a ser apenas a hortinha do mundo.

Ao anunciar sua saída do MEC, Weintraub disse que “não cabe discutir os motivos neste momento”. O agora ex-ministro é alvo do Supremo Tribunal Federal no inquérito das fake news. No vídeo da reunião ministerial reservada de 22 de abril, ele fala em prisão de ministros da Corte e os xinga de “vagabundos”. E tinha toda razão. Mas foi abandonada à sanha da tigrada. Ele também é investigado por suposta prática de racismo ao ironizar a China pelo Twitter, o que é uma piada de mau gosto. Durante depoimento à Polícia Federal, Weintraub ficou calado. Weintraub precisa sair na maior velocidade do Brasil para não ser preso pela canalha do establishment.

Cabe a constatação final de que as Forças Armadas brasileiras As Forças Armadas brasileiras se transformaram em uma grande Ong de prestação de serviços sociais, assistenciais. Não contem com os militares para a defesa do Brasil e dos brasileiros. Eles só prestam para entregar cestas básicas e coisas do gênero. A esse ponto chegamos. O corporativismo estatal venceu. Voltaremos ao populismo econômico e político, o País seguirá quebrado, falido, derrotado, desanimado, enfim, um zumbi se arrastando na história. Jamais será um protagonista mundial. Será somente o quintal do mundo desenvolvido.

Compartilhe nas redes sociais:

Comment here