BrasilJustiçaTodos

Contas de bolsonaristas no Twitter são suspensas também no Exterior por ordem do superdelegado Alexandre de Moraes

O ministro Alexandre de Moraes, superdelegado do Supremo Tribunal Federal, mandou bloquear no Exterior os  perfis de alguns apoiadores do presidente Jair Bolsonaro no Twitter nesta quinta-feira, 30. Perfis de políticos, influenciadores e empresários estão envolvidos na decisão, entre eles o de Luciano Hang, dono da rede de lojas Havan, Sara Giromini, conhecida como Sara Winter, o presidente do PTB, Roberto Jefferson, entre outros.

Todos eles estão sob investigação no âmbito do inconstitucional e ilegal inquérito das “fake news”, uma bobagem que não tem tipificação legal. Na última sexta-feira, 24, o superdelegado Alexandre de Moraes determinou a suspensão destas mesmas contas no Brasil. No entanto, os bolsonaristas mudaram a localização de seus perfis para locais fora do País e seguiram com as publicações na rede social.

Os nomes atingidos pela ordem tinham sido alvos de busca e apreensão em maio. Na época, o ministro havia determinado o bloqueio das redes sociais de 16 investigados no inquérito das “fake news”, que apura a disseminação de informações falsas e ameaças a ministros.

No sábado, após a primeira suspensão da conta, Roberto Jefferson chegou a usar o perfil da filha, a ex-deputada federal Cristiane Brasil, para se pronunciar. “Alexandre, não temo sua tirania!”, escreveu o presidente do PTB. Ele não foi o único que encontrou outros meios para falar. Luciano Hang usou seu perfil do Instagram para dizer que “jamais atentou contra o Supremo Tribunal Federal”. O empresário também fez um vídeo para falar sobre o inquérito e sobre o uso de contas em outras redes sociais. Além de Roberto Jefferson, Luciano Hang e Sara Giromini, o blogueiro Allan dos Santos e Bernardo Küster também foram atingidos.

Compartilhe nas redes sociais:

Comment here