BrasilGovernoTodos

Marchezan propõe pacote que resultará em passagens em geral de apenas R$ 2,00

O prefeito Nelson Marchezan Jr. apresentou nesta quinta-feira novos projetos de mobilidade urbana para Porto Alegre com o objetivo de reduzir o preço das passagens de ônibus na cidade. Os projetos poderão resultar em recursos que permitirão garantir passe livre para todos os trabalhadores formais, passagem estudantil a R$ 1,00 e passagens em geral a R$ 2,00.

Os recursos para tudo isto viriam sobretudo da cobrança de pedágios sobre veículos que circularem pelo centro histórico. Ou seja, todo o dinheiro arrecadado dos motoristas da cidade que ingressarem na grande área do centro, onde se concentram inúmeras atividades econômicas, seria diretamente entregue para os donos das empresas de ônibus, uma meia dúzia de pessoas milionárias que ditam os destinos da capital gaúcha.

Com valor de R$ 4,70 e cobrança por entrada na área, funcionaria similar a um pedágio. A medida possibilitaria um decréscimo de R$ 1,60 (34%) no preço da passagem dos coletivos, diz a tecnocracia da prefeitura de Porto Alegre. A taxa seria cobrada de segunda à sexta-feira, das 7 horas às 20 horas, com exceção de veículos de socorro médico, oficiais de órgãos públicos e de moradores da região central da cidade.

O projeto é inspirado em iniciativas globais, como existentes em Santiago, no Chile, Nova Iorque, Londres e Milão. É mais uma invencionice do prefeito tucano em fim de mandato e que deverá encontrar grandes dificuldades para sua reeleição.

Porto Alegre tem hoje mais de 20 mil veículos trabalhando para o Uber e outras empresas do gênero. O sistema de transporte coletivo por meio dos ônibus está ultrapassado. A prefeitura municipal deveria ter estudado um sistema para que o transporte de passageiros pudesse ser trocado dos ônibus para os veículos do Uber e congêneres. Haveria a vantagem enorme de dar trabalho e renda a no mínimo 40 mil pessoas na capital gaúcha, com as vantagens adicionais da eliminação de custos trabalhistas e previdenciários.

A administração do tucano Nelson Marchezan Jr. é pretensamente modernizadora apenas de perfil, na real, repete o tradicional de sempre, com a defesa da manutenção do establishment que beneficia os donos das empresas de transporte coletivo, um cartel que impera na cidade há mais de 50 anos.

Compartilhe nas redes sociais:

Comment here