BrasilSaúde e MedicinaTodos

Mobilização já devolveu 165 respiradores consertados a hospitais gaúchos

Desde o início da pandemia do coronavirus, o governo do Rio Grande do Sul mobilizou empresas e organizações da iniciativa privada para colaborar no conserto de respiradores que estavam estragados em hospitais gaúchos. A iniciativa da Secretaria de Planejamento, Governança e Gestão começou em março e mapeou mais de 254 equipamentos com problemas. Desses, 165 já receberam manutenção e estão em pleno funcionamento para recuperação de pacientes com Covid-19.

Conforme levantamento realizado pelas empresas, o gasto médio foi de R$ 4.762,00 por equipamento. O valor investido girou em torno de R$ 785 mil. As verbas são originadas somente do setor privado. “Nas oportunidades que tenho, seja em reuniões ou agendas públicas, sempre cito essa ação como exemplo de responsabilidade social. É um exemplo de solidariedade. Uma união de esforços para ajudar a resolver um problema que é de toda a sociedade”, afirmou o secretário da Secretaria de Planejamento, Claudio Gastal.

Os respiradores são localizados por meio de contato dos hospitais ou de outras fontes que identifiquem equipamentos estragados e também por um trabalho de busca realizado pela equipe da Secretaria de Planejamento e parceiros. Os aparelhos danificados passam por higienização, diagnóstico, manutenção mecânica e eletrônica e eventual substituição de peças. Depois de calibrados e com certificação de funcionamento emitida, são devolvidos para a instituição de origem. O conserto de respiradores conta com o apoio e suporte de General Motors, Instituto Cultural Floresta, Senai, Brothers in Arms e Reginp.

Compartilhe nas redes sociais:

Comment here