BrasilEconomiaNegóciosTodos

Quero-Quero estréia no mundo dos balanços apresentando lucro líquido de R$ 4,4 milhões

Apenas dois dias após suas ações começarem a ser negociadas na B3, a Quero-Quero divulgou seu primeiro balanço nesta quarta-feira (12). A varejista reportou lucro líquido de R$ 4,4 milhões no segundo trimestre. A cifra representa um salto de 228,4% sobre o mesmo período do ano passado, quando lucrou R$ 1,4 milhão. A margem líquida melhorou 0,8 ponto percentual na comparação, subindo de 0,5% para 1,3%. Já a receita líquida cresceu 20,7%, para R$ 349,1 milhões.

As vendas pelo critérios de mesmas lojas (aquelas em operação há, pelo menos, 12 meses) cresceram 7,2%. A Quero-Quero encerrou junho com 362 lojas, das quais, nove foram inauguradas entre abril e junho. O ebitda ajustado somou R$ 25,8 milhões e foi 38,1% maior que o do mesmo período de 2019. A margem ebitda ajustada melhorou 0,9 ponto percentual e chegou a 7,4%.

As ações da Quero-Quero começaram a ser negociadas em Bolsa na segunda-feira (10). A rede de varejo de material de construção e artigos para o lar precificou sua oferta inicial de ações (IPO) a R$ 12,65 cada, no centro da faixa indicativa de R$ 11,30 a R$ 14,00 por ação, segundo informações publicadas no site da Comissão de Valores Mobiliários (CVM). Na oferta secundária foram vendidas 154,3 milhões de ações, movimentando R$ 1,95 bilhão. A gestora norte-americana de fundos de private equity Advent International foi a vendedora.

Na oferta primária – cujos recursos vão para o caixa da empresa – foram vendidas 22,123 milhões de ações, com volume financeiro de R$ 280 milhões. Com isso, a operação movimentou pouco mais de R$ 2,2 bilhões. (Money Times)

Compartilhe nas redes sociais:

Comment here